top of page

Expedição ao interior da antártica encerra suas atividades

Ontem, 11 de janeiro, encerrou na cidade de Punta Arenas as atividades da "Expedição Criosfera 2022" ao interior do manto de gelo antártico.

Ao longo de 36 dias (4 de dezembro - 09 de janeiro), acampados e enfrentando temperaturas de até 24 graus negativos e nevascas, foram realizadas investigações sobre a história do clima (pela coleta de amostras de neve e gelo precipitadas ao longo dos últimos 400 anos) e medições sobre a resposta das geleiras às mudanças do clima.

Mais importante, foi instalado o módulo "Criosfera 2", laboratório automatizado para coleta de dados ambientais. O Criosfera 2 foi instalado em um sítio propicio para a investigação das mudanças climáticas na Antártica e conexões do tempo meteorológico e clima no Sul do Brasil. O Criosfera 2 liga-se a uma rede de dados ambientais entre a Amazônia e a Antártica, importante para investigar as origens e intensificação de eventos extremos como tempestades severas, estiagens, ondas de calor e frio, no atual cenário de mudanças climáticas.


O módulo Criosfera 2 está localizado em cima de uma calota de gelo - Skytrain Ice Rise (de 600 m de espessura de gelo ), ao sul do mar de Weddell, com vista para a montanha mais alta da Antártica (maciço Vinson, 4.897 metros de altitude). A temperatura no Criosfera 2 durante o inverno deve cair a 40 graus negativos. É a partir dessa região que as massas de ar frio provenientes do platô polar abastecem o mar de Weddell (no oceano Austral) no inverno e são reesposáveis na intensificação eventos extremos e ondas de frios no Sul do Brasil.

Esta missão foi realizada por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Para (UFPA) e Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), faz parte do Programa Antártico Brasileiro (PROANTAR) coordenado pela Secretaria Interministerial para os Recursos do Mar (SECIRM) e conta com financiamento do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), com recursos do Fundo Nacional de Ciência e Tecnologia (FNDCT) através Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) , do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS).


O último grupo da expedição chegará ao Brasil neste sábado encerrando as atividades.


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page